ILHÉUS

Ilhéus / História

 

Há anos Ilhéus projeta-se no mundo como um pedaço privilegiado do Nordeste. A natureza foi generosa com a cidade, cercando-a de matas, envolvendo-a em enseadas e lhe pontilhando com outeiros, de onde se pode observar o contorno majestoso do Oceano Atlântico que margeia seu território formando 100 Km de praias exuberantes.

 

Desde seu surgimento, como a Capitania de São Jorge dos Ilhéus, ocupa lugar de destaque na Historia, seja como braço do reino de Portugal na recém-descoberta colônia, como palco da luta dos desbravadores que ergueram o império do cacau ou como porto de milhares de visitantes buscando ver de perto o cenário que inspirou Jorge Amado a criar a faceira Gabriela, o "turco" Nacib, os coroneis, mulheres-dama, jagungos, tropeiros e tantos outros tipos que encantaram e continuam a seduzir os quatro cantos do mundo.

 

Esse trabalho divide-se em muitas vertentes, entre elas o turismo de negócios, o turismo cultural e o turismo ecológico. As três recebem obras e investimentos como a construção do centro de convenções, recuperação total do Teatro Municipal, construção do Largo Cultural, a reedição do Circo Folias da Gabriela, O Quarteirão Jorge Amado e a instituição da Semana Jorge Amado de Cultura e Arte.

Ilhéus // Atrativos turísticos

Patrimônio histórico

A maior riqueza arquitetônica de Ilhéus está diretamente ligada à época de ouro da lavoura cacaueira. A imponência dos seus prédios e palácios representava àquela época, em um misto de simbolismo e respeito, o poder dos coronéis do cacau na construção de uma civilização rica e soberana.

 

O dinheiro estimulou, dentre outras coisas, a “europeização” de Ilhéus, que desde o início do século importava da Itália estátuas em mármore para embelezar suas praças e logradouros. As estórias do escritor Jorge Amado passaram do papel para a vida real – há os que dizem que teria a relação inversa – transformando em símbolo casarões que marcaram época e gerações, isso é o Quarteirão Jorge Amado.

Há de se frisar que parte deste rico acervo tombou diante do moderno e da necessidade de fazer a cidade “crescer”. Outros ruíram diante do abandono. Mas muito dele ainda faz parte de um cenário que estimula o turismo e faz crescer dia-a-dia, o interesse pela preservação.
A avenida Dois de Julho e os principais casarões do centro da cidade já ganharam novas cores.

 

O bar Vesúvio, conhecido internacionalmente como ponto de encontro dos principais coronéis do cacau e de cenário para o romance entre Nacib e Gabriela, acaba de ser tombado pela Prefeitura e ganha uma reforma monumental sob a responsabilidade do grupo suíço Brahold, que o adquiriu na década de 80. Prédios históricos localizados na zona rural do município também fazem parte deste projeto de recuperação.

O conjunto arquitetônico do Instituto Nossa Senhora da Piedade, em estilo gótico e um dos principais cartões postais de Ilhéus, ganhou novas cores e, agora, ao lado da Catedral de São Sebastião, também recuperada, tornou-se ponto de referência do turismo local.

 

A Igreja de Santana, em Rio do Engenho, uma das mais antigas do Brasil, é tombada pelo Serviço de Patrimônio Histórico, Artistico e Cultural do Brasil. E a matriz de São Jorge abriga um dos mais ricos Museus Sacros do País, tendo ao lado, o Palácio Misael Tavares, também de cores novas, um dos maiores símbolos do coronelismo regional.

Estátuas como as de “Inverno” e “Sapho” embelezam a área onde fica localizado o Palácio Paranaguá, sede do governo municipal, também reformado nesta década Ilhéus, que tem em sua história um dos pontos mais fortes do seu turismo, luta para recuperar a maior parte deste rico acervo, entendendo que o moderno pode conquistar o seu espaço nesta virada de milênio. Mas a sua história, desde a Vila de São Jorge (1534), jamais pode ser esquecida.



Ilhéus / Passeios

Fazendas de Cacau da Região

São também atraentes alternativas para o turismo ecológico. Algumas guardam intactas as marcas dos tempos dos coronéis e a da riqueza trazida pelo fruto no inicio deste século. Nas fazendas, o turista conhece as etapas da produção do cacau e desfruta da exuberância que elas possuem, já que a lavoura cacaueira preserva a mata e, por conseqüência, todo seu ecossistema.

Canavieiras

Cenário da novela Porto dos Milagres (Globo), e uma das cidades mais antigas da Bahia, tem um centro histórico interessante, uma das igrejas mais antigas do Brasil, praias e muito caranguejo. O Festival do Caranguejo e famoso.
Itacaré - viajando 60 kms para o norte de Ilhéus você encontra esta cidade de praias intocadas, belas e rodeadas de mata nativa, muitos surfistas, capoeiristas, turistas estrangeiros.

Serra Grande

Ponto de veranistas, tem a oferecer o melhor mirante do litoral, uma represa com quiosques e praias de areia branca e boas ondas.

Una

Local onde esta situada a Ilha de Comandatuba, ela mantém uma reserva ecológica e muitas opções para o contato com a natureza.
Cidades de dentro.

Itabuna

Centro econômico da região, atrai um bom publico pela presença do Jequitibá Plaza, único shopping Center regional, e a riqueza de sua vida noturna, com muitos bares e shows o ano inteiro. Seu carnaval antecipado e um dos melhores do estado.

Itajuipe

cidade distante 17 km de Itabuna, tem um lago onde muita gente se concentra durante o verão, com caiaques e pedalinhos.

 

 

Praia do Sul

Ondas de porte media, muito espaço para esportes e caminhadas, rela, próxima aos hotéis da orla, com coqueiros e boa pesca.


Maramata

Praia aconchegante, pequena, de areia fina, localizada na baia do Pontal, sem ondas.

Milionários

Praia de porte, com muitas cabanas, som de axé ligado alto, camelôs, batuque em algumas mesas, comida e bebidas, pouca sombra.

Cururupe

Areia batida e clara, a praia se encontra com um rio de águas ferruginosas e tem algumas barracas.

Back Door

As melhores ondas para o surf, praia perigosa para banhos, mas o paraiso de surfistas.

Batuba em Olivença

O grande point do verão, onde acontece o Malhação de Verão com torneios, aulas de axé e shows. Muita paquera, coqueiros, ondas boas para o surf, mineiros, brasilienses e goianos. Próximo dali existe a única estância hidromineral a beira-mar do Brasil, com piscina de água medicinal. É proibido o estacionamento de ônibus.

Cai N'Água

Praia pequena, com barracas, bem família, próxima a pousadas.

Canabrava

Areia branca, reta, extensa, conchas, ondas fracas, ao lado de dois resorts.



Praias do Centro


Praia do Cristo

Encravada na baia do Pontal, tem caiaques e jet sky, quase nenhuma onda.

Soares Lopes

Localizada perto de tudo, tem algumas quadras e grande extensão, pouco freqüentada.


Praias do Norte

 

São Miguel

Areia branca, coqueiros, barracas, dentro de uma vila de pescadores, ao lado de um rio.

Mamoan e Ponta da Tulha

Boas para pesca, surf e lazer,muitas casas de veraneio.

Serra Grande

Muitas ondas, casas de veraneio, alguns ônibus de excursão e uma grande extensão de areia.


 

Olivença

Pelo litoral sul, percorrendo 18 km de belas praias contornadas por coqueiros, chega-se a Olivença, agradável vila turística de Ilhéus, remanescente de uma aldeia jesuítica, onde os caboclos nativos mantém a antiga tradição da Pasta da Puxada do Mastro, manifestação popular profana em homenagem a São Sebastião.

No Balneário de Tororomba, a atração é o banho nas águas que revitalizam o corpo tonificam e rejuvenescem a pele e dão um bronzeado natural. Essas águas comparadas as de Vicky (França), têm propriedades medicinais e contêm sais ferrosos: magnésio, iodo, bicarbonato e média radioatividade da planta caiana encontrada na Mata Atlântica que cerca o singelo núcleo urbano.

A Estância Hidromineral de Olivença, única a beira-mar no Brasil, com suas praias tranqüilas, trechos de matas e balneário de águas medicinais é parada nobre para os amantes da natureza.

Outro prazer para ales é um passeio pelo Ecoparque de Una, porção preservada da Mata Atlântica que pode ser desvendada através de passarela suspensa na copa das árvores ou caminhadas por trilhas.